terça-feira, 8 de novembro de 2011

Qual de nós dois


            Quem de nós dois
            Terá a coragem de dar o primeiro passo,
            A coragem para dar
            O primeiro beijo?

            Quem de nós dois
            Vencerá o medo,
            Esse medo bobo
            De tentar ser feliz?

            Qual de nós dois
            Dará primeiro o braço a torcer,
            Admitirá que é amor
            Esse sentimento que vive em nós?

            Em qual de nós dois
            Viverá mais tempo a dúvida,
            Se a dúvida deve ser
            A única coisa que ainda nos segura?

            Para qual de nós
            O tempo será mais precioso?
            Ou qual de nós terá mais pressa
            Para revelar o que sente?

            Qual de nós dois
            Conseguirá fazer a felicidade de ambos,
            Já que a nossa felicidade
            Depende apenas de nós?








O medo de amar

O medo de amar novamente e sofrer faz com que as pessoas construam uma casca, uma redoma invisível ao redor de si, e afastem, ou ao menos tentem afastar, todas as pessoas que tentem se aproximar com a intenção de engatar um compromisso, ou ao menos queiram conhecer melhor.Quanto mais já sofremos, ou se tivemos alguma desilusão amorosa que marcou e machucou demais, mais dura fica a nossa casca, mais intransponível vai ficando a nossa redoma.Sempre achamos que o próximo amor será o último, o "para sempre", e, quando as coisas dão errado, quando o sentimento acaba, temos a tendência de nos fechar, procuramos afastar toda e qualquer pessoa que possa ter a intenção de entrar nas nossas vidas.E com o passar do tempo encontramos alguém que entra como um raio nas nossas vidas, atropelando tudo, quebrando todas as nossas regras, abalando nossos conceitos, fazendo nosso mar calmo de emoções estar em constante tsunami, tomando conta dos nossos pensamentos e dos nossos sentimentos. Quando percebemos já não podemos mais viver sem essa pessoa, quando nos damos conta, estamos mais uma vez apaixonados, mais uma vez sonhando de olhos acordados. Temos a sorte de, como diz o Humberto Gessinger, "ninguém ser igual a ninguém", mas, por mais especial que saibamos que a nossa nova paixão é, mesmo assim teremos receio, mesmo assim teremos medo, meteremos o "pé no freio", com medo de capotarmos novamente na próxima esquina. Sempre que tudo está muito perfeito, ficamos procurando defeitos, esperando um problema no próximo minuto. Estamos tão acostumados a nada dar certo, que não acreditamos quando as coisas são boas demais, sempre desconfiamos, e com essa desconfianças às vezes acabamos afastando quem gosta de nós, magoando quem só quer nos dar amor e carinho.Eu, após muitos tombos, depois de quebrar a cara muitas vezes, sofrer, chorar, decidi acreditar que, se ainda não deu certo, é porque ainda não estava na hora, Deus deve estar guardando algo realmente espetacular para mim, alguém que vai entrar  como um raio, e permanecer calma e docemente a meu lado por uma eternidade. Resolvi ser como sempre fui, acreditar no amor apesar de tudo, e acima de tudo, lutar pela minha felicidade, mesmo que para isso acabe contrariando tudo o que eu havia decidido fazer para não mais sofrer... Ser feliz é apenas e somente o que eu quero, e essa felicidade está ao alcance dos meus dedos, basta eu ter coragem para enfrentar qualquer receio, qualquer medo, e me entregar de corpo, alma e coração, e ser realmente feliz! Boa terça-feiira a todos!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A Espera do Amor


            A espera do amor
            Pode ser dura, penosa,
            Feliz ou sofrida,
            Compensadora ou trabalhosa.

            Pode ser um simples gesto,
            Pode ser uma luta,
            Pode ser difícil,
            Pode ser abstrata.

            Pode ser somente espera,
            Pode ser um desatino,
            Pode ser uma corrida contra o tempo,
            Pode ser uma corrida com o vento.

            Pode ser um drama,
            Pode ser uma trama,
            Pode ser uma comédia,
            Pode até mesmo ser uma tragédia.

            Pode ser um verso,
            Pode ser um gesto,
            Pode ser uma canção,
            Pode ser só meu coração.

            A espera do amor
            Pode ser tudo isso
            Mas pode ser apenas
            A espera de um amor sem medidas.







quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Amor existe?


De que adianta ter carro do ano, roupas de grife, perfumes importados, e todos os bens materiais que impressionam a tanta gente, e não ter um mínimo de respeito e compaixão pelo próximo? De  que adianta ser famoso na sociedade, aparecer nas colunas sociais dos jornais da região, e não ter um mínimo de caráter ou de respeito pelo próximo? Cada vez mais as pessoas vivem em mundo de aparências, onde o ter é mais valorizado do que o ser, onde vale de um tudo para se dar bem e se chegar onde se almeja, onde dinheiro compra amor e felicidade. Cada vez mais os valores estão invertidos, e cada vez menos as pessoas realmente se amam de verdade, é cada vez mais visível que casais se unem apenas para multiplicar fortunas ou para unir dois sobrenomes tradicionais. E também é cada vez mais comum homens e mulheres se apaixonarem não pela pessoa que está ao seu lado mas sim por seus cartões de crédito, ou por seu carro importado, ou pelas viagens que o dinheiro pode comprar... Mas, e o amor? Por onde anda o amor? Não esse amor fútil, não esse “comércio afetivo”. Quero saber do amor verdadeiro, aquele que não se importa com nada, que não quer saber de valores materiais e sim de valores morais. Será que ainda existe? Será que ainda sobrevive na sociedade atual? Pois bem meus amigos, eu lhes digo: esse amor, apesar de parecer improvável, apesar de parecer brega, existe sim, e sempre existirá. Só que esse amor não tem preço, não há dinheiro no mundo que compre o amor verdadeiro. Ele não está em qualquer esquina, ele não é para qualquer um. Você pode ter dinheiro, mas se não tiver caráter, nunca encontrará o verdadeiro amor. O verdadeiro amor é para aquelas pessoas simples de alma, é para aquelas pessoas que gostam de conforto, mas que abrem mão de muitas coisas por sua felicidade. O verdadeiro amor é para quem sonha viver para sempre  ao lado da mesma pessoa, e não para quem quer que  pessoa com quem está seja apenas mais uma conquista sua. Hoje em dia está muito complicado de se encontrar esse verdadeiro amor. As mulheres estão cada vez mais niveladas aos homens, cada vez menos mulheres querem levar adiante um relacionamento sério. É cada vez mais comum vermos em perfis de redes sociais, nas páginas das mulheres a famosa frase: “pego, mas não me apego”... Meu Deus, em que mundo estamos? Como pode as mulheres estarem tão sem sentimento, sem valores morais, sem caráter? Não estou generalizando, mas as mulheres que lerem este texto me entenderão. Não são todas, mas todos sabemos que muitas estão nessa onda do sexo sem compromisso, da “pegação” livre e desimpedida. Ainda bem que para toda regra existe exceção, e são essas exceções que ainda fazem com que pessoas como eu e como muitas outras não desacreditem do amor e da felicidade. Vamos amar mais, e “se pegar menos”, ok? Uma bela tarde de quinta-feira a todos.

Encontro Final


            No silêncio da noite
            Vejo a lua
            Iluminar o céu da cidade
            Que se encontra às escuras.

            Procuro pelas estrelas,
            Solitárias como eu,
            Quero companhia,
            Não agüento mais ficar sozinho.

            Olho para os lados
            E não vejo nada,
            Não vejo ninguém que faça
            Minha vida valer a pena.

            Procuro o tempo todo
            Por alguém que não encontro.
            Procuro por você,
            Mas não consigo te encontrar.

            Busco teus olhos,
            Teu toque, teu cheiro,
            Busco carinho e proteção
            Que só acharei nos teus braços.

            Sigo a procurar,
            E sei que encontrarei.
            Encontrarei o que tanto procuro
            Quando finalmente encontrar VOCÊ.







quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Apenas um texto para reflexão!!!

Eu já tive medo de sofrer, e por isso deixei de amar... Já pensei que era feliz, e por isso sofri... Já acordei com o som dos pássaros cantando no campo e achei ruim, e já acordei com a barulheira do trânsito caótico das grandes cidades e achei ainda pior... Por muitas vezes estive com a felicidade, a alegria, e todas as coisas boas  em minhas mãos, e achei que aquilo não era suficiente, e, quando vi o outro lado, senti falta do que eu tinha tido e agora havia perdido... Já pensei em desistir de tentar ser feliz, e quando eu pensei em desistir, Deus me colocou alguma coisa boa no caminho, e eu vou a acreditar em felicidade... Já pensei em nunca mais querer amar, por achar que todas as mulheres eram iguais, e quando eu pensava nisso, lá vinha novamente Deus a me provar o contrário, lá vinha alguém entrando em minha vida de mansinho e mudando mais uma vez todos os meus projetos de vida... Já amei demais e por isso fui traído, já confiei demais em quem não merecia, e por isso fui surpreendido... Já estive com a faca e o queijo na mão e não soube aproveitar... Muitas e muitas vezes as oportunidades estavam bem ali na frente, ao alcance dos meus dedos, e eu simplesmente não conseguia enxergá-las, e em outras eu achava que as coisas nunca iriam dar certo, e elas já tinham dado... Quanto mais passa o tempo mais certeza eu tenho de que o ser humano não sabe reconhecer a felicidade, e por isso está sempre em busca dela. Quando a oportunidade aparece, nós corremos para longe, porque já sofremos demais, e simplesmente deixamos de crer que existam pessoas boas no mundo... Jogamos fora verdadeiros presentes que Deus nos dá por pura covardia, por medo de quebrar mais uma vez a cara, por medo de derramar mais lágrimas, por receio de sofrer mais uma grande desilusão... O ser humano é imperfeito, e só seremos felizes se soubermos compreender e conviver com as imperfeições dos outros. Quem busca a perfeição com certeza vai ficar sozinho, pois como diz o ditado, “o perfeito nasceu morto”. Muitas vezes precisamos ser realistas, ter os pés no chão, para evitar mágoas e sofrimentos, mas, como todos sabemos, o amor é sem razão, o amor não escolhe hora e nem lugar para acontecer. Podemos até tentar ser racionais, podemos tentar lutar contra os sentimentos do nosso coração, podemos tentar mascarar nossos sonhos, mas dentro de nós temos sempre a certeza de que estamos apaixonados, de que até poderemos novamente sofrer, mas que, com certeza não iremos deixar de tentar ser feliz com aquele ser tão especial que agora está na nossa vida. Podemos até tentar ser racionais ao extremo, não demonstrar o que estamos sentindo, esconder de nós mesmos  que estamos amando, ou que estamos apaixonados... Mas por mais que lutemos contra isso, sempre sabemos quando o nosso coração se entrega, todos sentimos ele bater mais forte, e muitas vezes nos pegamos que nem bobos pensando naquela pessoa especial... Estamos sempre numa eterna luta entre a razão e a emoção, apesar de sabermos que essa luta é em vão, apesar de sabermos desde o princípio que a razão luta bravamente, mas já nasceu derrotada... Quem já sofreu por amor, sempre jura de pés juntos que da próxima vez irá ouvir a razão... Ledo engano... O ser humano não nasceu para ser sozinho, e está sempre em constante busca por companhia, em eterna procura por um alguém especial... E cada pessoa que se aproxima, e que nos cativa, passa a ser A PESSOA! Devemos sempre nos entregar, sempre tentar, sempre acreditar... Ninguém nos disse que seria fácil, ninguém nos disse que iríamos passar por tudo sem feridas e sem sofrimentos... Não podemos afastar uma pessoa que pode ser o que sempre sonhamos simplesmente porque algum ou alguma idiota entrou em nossa vida antes e deixou feridas abertas em nossa alma e em nosso coração... Vamos lutar por nossa felicidade, vamos tentar sempre encontrar a felicidade... VAMOS AMAR!!!