quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

AS IDAS (E VINDAS) DO AMOR

E nestas idas e vindas
Onde paralelas jamais se cruzam
E onde opostos se distraem
Quem me atrai?

E nesta loucura
Nessa eterna busca
Por quem baterá meu coração?
Onde se perderão meus olhos?

Talvez se percam no horizonte
Quem sabe aqui do lado...
Mas afinal onde estão teus olhos
Para encontrarem os meus?

Por que tudo é tão difícil?
Ou será que apenas nós dificultamos tudo?
Deixemos de ser paralelas
E vamos nos cruzar

Enfrentar os medos
O receio da rejeição
E ao menos (tentar)
Encontrar a felicidade

E nessa eterna busca
Que talvez nunca termine
Quem sabe um dia eu possa dizer:
EU SOU FELIZ AMANDO E SENDO AMADO

Nenhum comentário:

Postar um comentário