quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

QUÃO ESTRANHOS SOMOS NÓS

Falam de amor
Mas no fundo não querem amar
Falam em tentar
Mas deixam o medo dominar...

Que estranhas são essas pessoas
Esses homens e mulheres
Que deixaram de acreditar
Que desistiram de sonhar...

Dizem que já sofreram,
Mas quem nunca sofreu?
Dizem que já erraram,
Mas quem sempre acertou?

Falam de dor
Mas correm da sua cura,
Procuram a felicidade no fundo de um copo,
Vivem da embriaguez dos seus sentidos

Que estranhos somos nós
Que fugimos de quem nos quer bem
Talvez por medo
Talvez apenas por falta de coragem...

Que estranho é o nosso coração...
Sofre sozinho...
E quando tentam cuidá-lo
Acaba fazendo sofrer...

Nenhum comentário:

Postar um comentário